A Loja dos Suicídios


Este livro fala sobre a história da familia Tuvache, composta por: Sr. Mishima, Sra. Lucrécia, Vicent, Marylin e Alan, e tal como a história, também esta familia é deverás estranha e cómica.

Os pais são os donos de uma loja que apenas vende artigos para as pessoas se suicídarem, desde cordas em forca, a poções e bonbons envenenados, e que tem como slogan: "A sua vida foi um fracasso? Connosco a sua morte será um sucesso!".

O filho mais velho, Vincent sofre de cefaleias e acha que a cabeça lhe vai rebentar se tirar as ligaduras que tem à volta da cabeça, a irmã Marilyn é uma adolescente em fase de descoberta que usa t-shirt's com frases como: "Viver Mata", e o irmão mais novo, Alan é o único elemento da família que é feliz, sorri, canta e vê o lado positivo em tudo o que encontra.

Assim, por estes aspectos fora do comum e num tom de escrita cómico mas ao mesmo tempo sarcástico, a história descreve um mundo em que todas as pessoas são pessimistas, querem tudo o que é mau e só pensam em morrer. E neste mundo de desgraça apenas uma criança consegue aos poucos ir mostrando que as coisas não são assim tão terríveis e ir mudando as mentalidades e atitudes dos membros da família e dos clientes da loja.

Uma leitura bastante fácil e que nos faz reflectir sobre algumas questões sempre num tom positivo, recomendo vivamente este leitura original, com um final inesperado que não vou revelar...

Excertos a destacar:

"- Mas que deseja a senhora?
- Uma corda para me enforcar.
- Tem um tecto alto onde mora?
Não sabe? Olhe tome esta: devem bastar dois metros.
Já tem o nó corredio e tudo!
Só tem de meter a cabeça dentro..."

" - Está de castigo (Alan).
Quando na escola lhe perguntaram o que são suicidas, ele respondeu:
'São os habitantes da Suíça'."

5 - Muito Bom!

1 comentário:

Lia disse...

Eu achei este livro brilhante! pequenino, mas delicioso!
Beijos