Homem na Escuridão


Esta foi uma leitura bastante demorada.
Talvez não tenha escolhido a melhor altura para ler este livro e por isso não lhe dei a atenção que devia, não o achando a principio propriamente cativante e algo filosófico.

Posso começar por dizer que tem um tipo de escrita ao qual não estava habituada, e a certa altura dei por mim sem perceber a história e qual o papel das várias personagens e nomes que iam surgindo ao longo do texto, que para mim naquela altura apareciam sem nenhuma contextualização.

Mas como fiel leitora continuei a lê-lo na esperança que algumas páginas mais à frente tudo fosse fazer sentido. Mas quando de repente tudo se parecia compor, deixava de o fazer logo na página seguinte. Com o pouco interesse que me ia despertando e a leitura espaçada no tempo que fui fazendo foi bastante difícil acompanhar esta história e fixar os nomes das personagens que iam aparecendo.

Apenas no final este livro me cativou finalmente, de tal forma que, ás vezes como nos filmes, voltei a ler o início para que pudesse perceber assim todo o sentido da obra. Não vou entrar em explicações muito detalhadas para não tirar a curiosidade ou o interesse a quem o queira ler no futuro. Mas, para mim o reler no final da obra algumas das primeiras páginas fez toda a diferença para que pudesse perceber todo o sentido das duas histórias paralelas que são contadas ao longo de todo o livro.

Posso assim concluir que apesar de muito me ter custado esta leitura, até porque é um livro pequeno, a história tem pormenores e diálogos bastante interessantes, que numa análise global o tornam num bom livro. Acho que aqui ficou uma obra que será para voltar a ler um dia mais tarde com uma outra predisposição.

3 - Razoável

Joana

1 comentário:

disse...

ahah! finalmente apareceu no update dos blogs!


eu já desisti de ler dois livros, lol, e cá vou eu para mais um murakami, weee!


bjuns xuca*